quarta-feira, março 28, 2007

Como conseguir O Melhor Assento do Vôo

Seja um avião para transporte de passageiros. Dentro dele, um corredor que divide as cadeiras ao meio em duas seções. Em cada um dos lados, uma matriz de cadeiras trinta por três, simétrica em relação ao outro lado, e eu me esqueci que nesse momento tenho um lápis e um papel.

Resumindo, a disposição das cadeiras é a seguinte:








Então. A pior coisa no mundo é encarar uma longa viagem numa única cadeira. Quando você for fazer o check-in, tenha certeza de conseguir uma fileira de três cadeiras vazias. Mais. Não serve ter uma cadeira vazia, a não ser que só você tenha acesso a ela.

Vou explicar melhor: pegue sempre uma das cadeiras do meio: B ou E. Ao conseguir uma fileira vazia - se estiver com vergonha de pedir ao agente, faça check-in via Internet - É provável que alguma cadeira continue vazia do seu lado. Se você estiver no meio, uma das cadeiras vazias, se houver, será obrigatoriamente à sua direita ou esquerda, e o passageiro ao seu lado, logicamente, não terá acesso a ela, porque você espertamente estará entre ele e o assento vazio.

Vamos explorar alguns cenários alternativos possíveis:









No cenário A, temos a pior configuração de assentos. Ela traz a disputa do banco livre pelo direito de uso dos passageiros 1 e 2. Quem colocará sua bolsa de mão no assento vazio? Quem dominará a bandeja de refeição deste mesmo assento? Seja sempre o primeiro a largar a bolsa no assento vizinho, e o primeiro a abrir a bandeja para colocar seus restos de refeição lá.

Se estiver na janela, também estará submisso à vontade do seu companheiro, para que o deixe ir ao banheiro, ou que lhe passe a comida de bordo. Comer antes do vôo te livra de um dos problemas, já que não vai precisar da comida de bordo, e é um favor a menos que vai dever ao vizinho.

Algumas observações a respeito da comida de bordo:
  1. É ridículo como as pessoas acham que têm que, obrigatoriamente, comer aquela gororoba.
  2. Este é um dogma já bem estabelecido, um paradigma que deve ser quebrado.
  3. NÃO SE PREOCUPE, O AVIÃO NÃO CAI SE VOCÊ NÃO COMER, e
  4. NÃO, O AVIÃO NÃO FICA MAIS LEVE PORQUE HÁ MENOS COMIDA A BORDO

Comer antes de entrar no avião também significa que você terá um amplo cardápio para escolher. Não se impressione com a gratuidade da comida aérea, ela é tão leve e barata que deve sair de graça na padaria mais próxima. O problema maior da refeição prévia é que você fatalmente vai querer comer em um fast-food (esse tipo de comida está profundamente gravado em nosso inconsciente para estes momentos), vai pedir uma Coca-Cola de 500ml, e vai ter que pedir, suplicar, implorar para que seu carrasco e captor (o maldito vizinho de assento) o deixe alcançar o corredor, e só então você imprimirá a corrida dos cinqüenta passos rasos para chegar ao banheiro ocupado e se mijar todo antes de entrar nele.

Notas:
  1. Se seus rins não funcionam, você não terá esse tipo de preocupação.
  2. Se a nota anterior for verdadeira, assegure-se de que haja uma máquina de hemodiálise aguardando-o na cidade de destino.

Caso você tenha mesmo que pedir ao seu vizinho pra ir ao banheiro, agracie-o com o privilégio de se sentar à janela para apreciar a vista aérea, para que ambos possam se aliviar durante esse momento. Ninguém vai dever nada a ninguém depois disto.

Notas:
  1. Antes de oferecer a janela, faça-lhe a seguinte pergunta, para a segurança de todos a bordo: "Você tem medo de algura?"
  2. Mediante a pergunta do item anterior, tenha a certeza de ter ouvido a resposta "Não", ou sinônimos, pronunciada diretamente do sistema vocal da pessoa pra quem você fez a pergunta. Se não souber o que é um sinônimo, pergunte diretamente ao comandante da nave. Nunca - eu disse NUNCA - tire dúvidas sobre a língua portuguesa com comissários de bordo. O resultado desse tipo de atitude é realmente imprevisível. Dizem as más línguas - as norte-americanas - que foi o que levou quatro aviões a serem jogados com passageiro e tudo nos dois ex-prédios-mais-altos de Manhatan, no Pentágono, e na Casa Branca. O da Whitehouse não atingiu o alvo porque havia um professor de Português lá dentro. Ele havia sido "o aluno mais brilhante de minha carreira inteira como professor", segundo o Professor Pasquale. Esse bem que podia ter atingido o objetivo. Vôo errado, professor, vôo errado...


Bom... Vamos ao cenário 2:










Neste caso, seja o passageiro P2. Você vai ter completos direitos sobre o banheiro e a poltrona V (V de "vaziza"), encurralando seu adversário, P1, podendo conceder-lhe vários favores durante o vôo, tendo a chance até de dar-lhe, de passagem, um gentil sorriso, e quem sabe assim, ter alguém pra se juntar à sua causa secreta de conspiração contra a escassez de espaço nos aviões, com uma boa conversa, até.

Se P1 for um mala total, você pode assim assumir o assento V como medida preventiva, chamar um comissário e perguntar-lhe o porquê de aquele indivíduo não ter sido despachado para o compartimento de cargas, já que ele provavelmente pesa mais de cinco quilos. Se pesar menos, azar, não pergunte nada a ninguém. Fique na sua e agüente o riso até o fim do vôo.

Como regra geral, em uma viagem dessas não se deve sentar na janela, já que Murphy é um dos passageiros, e:
  1. Se for noite, você não vai ter o que ver
  2. Se for dia, vai estar tudo nublado


Boa viagem!

2 comentários:

Emmanuele disse...

eeeeeee!!!
deixa comigo!!!
pegarei o melhor lugar:):))
beijos
te amo!!!
manuzinha

Anônimo disse...

De acordo com a REFORMA ORTOGRÁFICA: Não há mais acento em voo.