terça-feira, janeiro 24, 2006

Poema Incompleto

A vanguardista arte que resiste
No coração daqueles que seguram o mundo
Os faz chorar ao pensar que o amor

O mundo é etéreo como o vapor
Da expiração, inspiração, suspira
E a vida é fumaça que se vai
Na cachaça

Mas talvez pra estes ainda haja,
Ao lado de alguém, é melhor que corram

Porque a cada último suspiro, se vai um conservador
A cada luz, em um novo sopro, os olhos,
Que vêem o mundo instável mergulhado na rede,
Aprendem e crescem

As pessoas, cada vez mais feridas
Caem na folia
Iludidas, fendidas, suadas, fedidas, imundas

Beijam todos aqueles que detestam
E tornam-se como eles
Dançando todo o inferno que repudiam

Tento esquecer que o humano excrementa
E o que é o excremento
Senão um monte de energia não aproveitada?
(Irrenovada, jogada, deixada, mal tratada)

Tenho pesar ao pensar,
Falar, comer, andar, calar,
Que os pobres podem ser o excremento social
Como tanto se costuma dizer

Temos mais excremento do que cidadãos
E afinal, é ou não é por falta de vontade?



Safe Creative #0803010456771

5 comentários:

Nina Thunder disse...

é...

Frase incompleta pode causar !

Bjs

Emmanuele disse...

Muito lindo isso que vc escreveu!!!
Estou invadindo o seu espa~ço mais uma vezzzzzzzzzz!!!...hehhee
beijinhos!!!
Vamos tocar sim!!!

Lu disse...

Heeeeeeeeeeyyy dear !!

O céu está azul lá fora, o sol vai nascer amanhã e até lá ainda há estrelas a se contemplar. Portanto, BE HAPPY !! Cadê suas lentes cor-de-rosa tb, aposentou de vez ????

Bjs !!
Lu

Rodrigo Santiago disse...

Não aposentei coisa alguma, senhorita!! :)
Várias coisas boas estão acontecendo. O meu blog não é exatamente um diário, sabe?? Essa poesia é só isso: uma poesia, e não meu estado de espírito :P

Bjs!

Lu disse...

Acho bom !!! :P E fico muuuuuuuuito feliz em saber !!

Bjs !!!