quarta-feira, janeiro 24, 2007

É A Dor

A típica dor que me atinge
É a melancolia, bem conhecida
Sem precedentes, sem início, sem fim,
Ela sempre esteve aqui

É a dor do homem de hoje, sabe?
A dor do medo da dor
Do medo da dor de ficar só
Mas aquieta-me,
Porque como como o que quero
Como também quando tenho fome
Como quando tenho saudade, te espero
Como quando tenho certeza, sorrio

É a dor do homem de hoje, sabe?
A de ter tudo na mão, e nada no coração
Essa dor é má
Acho que não a tenho,
Mas dela sofro, nos outros,
Mais até do que quando tenho saudade
Ou do que quando te espero

É a dor do mundo de hoje
Dor de cotovelo, dor de barriga,
Dor de fome, intriga,
Dor de falta de amar

A dor do homem de hoje é assim
Misteriosa, não sabe se vem ou se foi
Nem se tá aqui
É a dor de passar, do envelhecer
É igual a tudo o que se junta por aí
É igual a toda a dor junta

É até assumir que a dor é perfeita
É que tem que ser assim
É até ficar satisfeito com a dor,
Vê se pode?

É como dois amantes juntos que se partem
E ficam um tempo longe do outro
E mais um tanto de tempo
Longe de si


Natal é triste às vezes.


Safe Creative #0801100372987

3 comentários:

Afonso disse...

Desabafo motivado ou "per se"?! Estou há um tempo pra te falar que estou te devendo por ter me apresentado à música do diabo...estamos cada vez mais intimos, aliás... hehehe!

Adotei o mensageiro do grande do grande G...Stop by sometime, will ya?

Abração, maninho! ^^

agellos disse...

Coeeeee...É verdade..quando se esta longe de quem se ama..mesmo o mais belo lugar as vezes é solitario e triste.

te amo muito,
meu irmao...

Manu disse...

Saudade