quarta-feira, outubro 26, 2005

Fala do Futuro (Poesia Argumentativa)

O futuro da propriedade é o aluguel.
Só haverá dois papéis: o dos locatários e o dos administradores.

Ser chamado "dono" talvez se torne até ofensa.
Quando os capitalistas se tocarem, ficarão perplexos ao pensar que o significado estava lá o tempo todo: "Ativo".

O futuro do governo é a transparência.
O dia em que houver gente com peito pra colocar um mural pro mundo ver as contas de seus líderes, essa pessoa verá seu país crescer despido.
Será tão vergonhoso lembrar da corrupção de hoje como nos é vergonhoso lembrar que sarna já foi mal comum entre os nobres de outrora.

O futuro da compra é a gratuidade.
Os custos estão cada vez mais baixos, e a produtividade, cada vez mais alta.
A concorrência, cada vez maior.
Isso é trabalho redundante.
Trabalho redundante em excesso é ineficiência.
Por isso, perdas.
Por isso, desempregos.
Por isso, recessão.
Se você acha que isso contradiz a primeira estrofe, é porque provavelmente partiu do bom e velho princípio: "Dinheiro".

O futuro da família são pais descasados, dividindo um teto e criando filhos como amigos, recebendo a visita de seus namorados.

O futuro do amor é a extinção do egoísmo.
Tanto daquele advindo do medo de se dar, quanto daquele advindo da vontade de se ter.

O futuro da desconfiança é a libertação.
Não é natural andar por aí achando que os outros não prestam, quando só você não percebe:

Quem não presta está no espelho.

Safe Creative #0802200438634

9 comentários:

Rodrigo Santiago disse...

Acho que esse foi um bom tema, enfim :)

BONEKINHA disse...

DESCULPA MAS MINHA MENTE N TA TRABALHANDO
N ENTENDI LHUFAS

P disse...

Adorei as idéias. Não concordei com algumas, mas mesmo assim, gostei dos argumentos. Eu diria que, cuidado com as aulas e leituras de economia e afins. O mundo não segue a maior parte das leis que filósofos, físicos, economistas e administradores se empenham em mostrar. O mundo tem uma lógica própria, na verdade cada pessoa é um mundinho com sua própria lógica. E se o mundo estiver num r^n, com n variando de 2 a infinito, estamos em r^n-1, pois estamos inseridos nele, somos descritos a partir dele. Assim, nunca enxergaremos a complexidade deste mundo, só poderemos inferir. E inferir com a matemática que admite tudo, até o inadmissível.
Adorei sobre o amor (estou particularmente sensível a isso). Esse lance do medo de se dar é antigo conhecido e nunca sei se vai passar como vc acredita.

Bjks e saudades.

Rodrigo Santiago disse...

P, gosto das suas críticas :)

Faça mais, por favor. São melhores, mais incisivas e melhor arquitetadas do que muitos textos que leio em livros e do que muitos dos pensamentos que tenho.

Aliás, não sei nada de matemática, então não sofro desse tal de r^n-1 que tu tah falando ae... rsrsrs!!

Bjocas, saudades :)

Afonso disse...

Podemos entrar naquele âmbito do impacto social que o rumo atual economia nos está levando e que seremos todos no futuro, pertencentes a mega cartéis corporativos, e blá blá blá ....mas acho que não era exatamente sobre isso que voce queria falar.

É cara, a vida está dificil, e há gente que chama isso de progresso...acho que temos esquecido um pouco de nós mesmos. Sem apologias ao egoísmo!

Temos cuidado pouco de nossas almas, e não começarei com discursos religiosos. Não é do meu feitio, voce bem sabe. Mas acho que tudo isto que voce descreveu poderia ser evitado se fizessemos uma simples pergunta a nós mesmos: será que é este o futuro que merecemos?

Um abraço irmãozinho! ;)

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lu disse...

Tô muito cansada pra ler o post, mas vou ler amanhã ...

Saudades de vc ... SP tá me deixando exausta ... vou passar os próximos dias no Rio, vamos caminhar no Jardim Botânico ?

Bjs
Lu

Rodrigo Santiago disse...

A famosa caminhada no JB... Boa pedida! :)