terça-feira, abril 29, 2008

O Despertar do Engano

Ao que se compara
O deplorável embaraço
De te confundir com o amor
Que tanto espero chegar?

A minha fome de alma insaciada
Projetou sobre ti
O avatar que pretendia adorar

De tanto ver teus sinais -
Cegamente, somente os intersectos
Daqueles que exatamente
Emitiria quem ousaria me amar -

Encontro-me mergulhado
Num lago de dez mil dos teus corações,
E agora é tarde.

Completamente constrangido,
Troco a moeda da amizade pela da paixão.

Tento acordar da embriaguez do amor,
Mas agora é tarde.

Finjo, como o tolo de álcool,
Não lembrar minha vergonha,
Mas para isto também é tarde.

Ajo como se nada tivesse ocorrido,
Mas não importa, é tarde.

Tento trocar autor e alvo,
Sobrepor intenção ao fato,
Mas é inutilmente tarde.

Em sonhos retorno no tempo,
Mas repito o feito,
Porque lá também é tarde.

E até mesmo para simplesmente
Recuperar o troco do amor cedido
Pela paixão dada

Para reconstruir uma amizade,
Como do nada,
É decerto, também,
Em absoluto,
Muito, muito tarde.



Safe Creative #0804290619986


* Esta é uma poesia que escrevi em resposta à sugestão do Reinaldo, ali na Shoutbox.

2 comentários:

Manu disse...

Lindo demais! Emocionante!

beijos

Manu disse...

ahh, sou eu ta?!

te amo, amor!