segunda-feira, dezembro 18, 2006

Natal - Primeiras Impressões






Quebra-Cabeças

Da trama existencial
Sou apenas uma peça
E qual peça! Única, sem igual
Mesmo assim, no entanto,
Um tão tanto assim de passageira

Quando eu passar,
Onde passearei? Onde vou aportar?
Será meu mar, este aqui, o inicial?
Ou o fim do caminho a seguir?

Quanto tempo o tempo vai me dar?
Quanto vai durar o meu tempo de passar?
E se passar o passageiro agora,
Onde permanecerei?

Se eu me for, por acaso
(E que outro jeito há?)
Passado pra sempre
Será o passageiro assim
Uma idéia tão distante
Tão impermanente e passageira por lá?


4 comentários:

Manu disse...

Ficou legal a poesia!!!
Bonito quarto!
Saudades
Manu

Anônimo disse...

Opa! Passando para desejar-lhe uma noite de natal calma e feliz! Um abracaum!

Over Jinx disse...

Legal o poema, cara...
Você bem sabe a impressão que eu tenho do Natal... Não é porque eu mudei um pouquinho e estou menos "escroto" que eu tenha mudado de opinião...
Nem sei por quê to dizendo isso... Esquece..!
Big, você disse no começo do blog qu você não presta... Eu discordo... você é um dos caras mais íntegros que eu conheço... Grande amigo e companheiro... Acho que foi uma das únicas vezes que eu te vi escrever uma besteira!
Bom, chega... Só vim dar uma olhada e to enchendo isso aqui com minhas opiniões sem sentido...
Abraço aí...!

Leonardo disse...

Que isso! quinquilhões de anos sem comentar aqui.

Abraço irmão

Adorei esse aqui e sabe que sempre tnto colocar palavras suas nos meus textos, nos roteiros e sei que não se importa (ou se importa?)

Abraço brother